quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

MACARRÃO COM ABÓBORA


Ingredientes:
- Massa:
250g de macarrão penne
1/2 colher (sopa) de sal

- Molho:
2 colheres (sopa) de azeite
1/2 cebola picada
2 xícaras (chá) de abóbora em cubos
1 stick de MAGGI® MEU SEGREDO
2 colheres (sopa) de cebolinha verde picada


Modo de Preparo:
-Massa:
Em uma panela, ferva dois litros e meio de água com o sal e cozinhe o macarrão até ficar 'al dente'.

- Molho:
Em outra panela, aqueça o azeite e doure a cebola. Junte a abóbora, o MAGGI MEU SEGREDO e meia xícara (chá) de água fervente. Tampe a panela e cozinhe até que a abóbora fique macia. Amasse com um garfo e acrescente a cebolinha. Escorra o macarrão, coloque em um recipiente, acrescente o refogado, misture e sirva a seguir.

Faz Bem Saber:
A abóbora, além de conter fibras, é um alimento com boas quantidades de vitamina A, importante para a manutenção de pele e cabelo saudáveis.


terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

BISCOITO DE BATATA DOCE


Por: Mariele
Ingredientes:
1 xícara de batata doce amassada
1 xícara de farelo de aveia
1 xícara de farinha de polvilho
5 colheres (sopa) de açúcar mascavo
5 colheres (sopa) de óleo
2 colheres (sopa) rasa de cacau em pó
1 ovo
1 colher (sopa) de semente de chia ou linhaça




Modo de Preparo:
Em uma vasilha misture todos os ingredientes, sempre com a mão, até virar uma massa consistente.
Faça os biscoitinhos de batata doce da forma que você quiser, existem forminhas próprias para isso, mas vocês também pode fazer bolinhas e amassa-las.
Use uma assadeira antiaderente ou uma forma untada.
Asse no forno médio preaquecido (180ºC), por uns 40 minutos ou quando você achar que estão na cor que você deseja.


domingo, 19 de fevereiro de 2017

TEMPEROS: O QUE COMBINA COM O QUÊ?



Para algumas pessoas, apenas sal e, no máximo, pimenta do reino são suficientes.

Sal é um excelente tempero. Tem o magnífico poder de desvendar o sabor de um alimento. Mas ele não faz nada além disso!

Temperar é ir além do sabor salgado. É complementar o sabor do prato. Isso porque o sabor de um prato se divide em sabor principal (do ingrediente principal), o sabor secundário (um ingrediente de personalidade, mas que não é o primordial) e o complemento (o tempero). Para valorizar os sabores do prato, a gente precisa colocar pitadas e porções desses condimentos.

Mas eles são tantos e tão variados que fico um tanto perdida em combiná-los. Já aprendi que sálvia na abóbora, hortelã e alcaparra na salada verde, tomilho na carne moída, cominho na almôndega e baunilha no creme de ovos são capazes de deixar a comida ainda mais deliciosa. Impressionante como saborizam!

Também virei fã de bouquet garni desde que vi o chef Claude Troigros ensinando como fazer esse amarradinho de temperos (tomilho, salsa, louro frescos) para colocar para cozinhar junto com uma carne ou em molho vermelho. Na verdade, o bouquet garni combina com praticamente tudo.

Depois dessa "aula" percebi que existem temperos coringas, necessários para se ter na cozinha. Com eles, até um arroz banal ganha uma personalidade incrível. Na minha dispensa de temperos procuro sempre ter:

1) Alho: ele combina com tudo! Vale fresco, em flocos ou em lascas. Frito ou assado, é vital para qualquer refogado.

2) Cebola: outro tempero que combina com tudo, mas principalmente com espinafre refogado para fazer molho branco.

3) Noz moscada: excelente no purê de batata, no molho branco, nas sopas e nos legumes no vapor. O melhor é que essas bolinhas duram muito. Não estragam com facilidade.

4) Sálvia: excelente na abóbora, em molhos vermelhos, com azeite e alho no macarrão, para temperar o arroz e aves, como frango. Uso sempre a fresca.

5) Salsinha: para mim, ela combina com praticamente tudo: arroz, feijão, carne seca, xuxu refogado, na salada de batatas, na salada de lentilhas. Fresca ou desidratada, ambas são deliciosas quando colocadas na hora de servir o prato.

6) Cebolinha: outra que combina com tudo, inclusive na salada verde ou na sopa, no arroz com grão de bico, deve ser colocada sobre a comida na hora de o prato ir para a mesa.

7) Alecrim: meu tempero predileto, mas confesso que vivo um caso de amor e ódio com ele. Excelente na batata frita ou na assada, na carne de porco (qualquer uma), no molho vermelho, esse tempero não desmancha. A versão seca endurece nos molhos e pinica na boca! Mas o sabor e perfume que ele deixa nos pratos são excelentes.

8) Orégano: combinado principalmente com molho vermelho. Pizza com molho vermelho e orégano ganha uma personalidade incrível.

9) Tomilho: para mim é a versão fresca do orégano porque eles têm sabor e aroma parecidos. Devem ser primos. Não sei ao certo. O que sei é que esse tempero é um coringa. Combina com praticamente tudo: carnes de todos os tipos, molho, sopas, marinados. A carne moída aqui de casa sempre leva tomilho. Uso sempre o fresco.

10) Pimentas: de qualquer tipo (branca, preta, rosa, calabresa...) também combinam com todo tipo de comida. Devem ser usada com cuidado para não estragar o prato. A pimenta rosa em grãos é excelente com molho de queijo para cobrir o bife, por exemplo. A pimenta calabresa combina com molho vermelho e linguiça. A do reino, moída na hora, deixa a sopa surpreendente.

11) Cominho: Excelente na kafta, por exemplo. Combina principalmente com carne. Faz um excelente par com hortelã.

12) Páprica, coloral e açafrão brasileiro: esses três pós são perfeitos para dar cor à comida, principalmente, o arroz, o frango ou a batata. Têm sabor suave e quase não interferem no sabor original da comida.

13) Louro: essencial no feijão e no arroz aqui de casa, louro também faz parte do bouquet garni. Isso significa que você pode colocar em qualquer carne de panela.

14) Manjericão: essencial para o molho vermelho, ele muda o espírito do molho.

15) Molho inglês:  é um condimento, mas não é erva aromática. Fica perfeito no ovo frito, na omelete, no estrogonofe, em qualquer comida com carne vermelha ou aves.

16) Cerveja (preta ou pilsen): A cerveja preta é maravilhosa na carne vermelha e no bolo de chocolate, acredite! E a pilsen é maravilhosa em aves, como frango assado.



Tenho outros temperos, mas acho que qualquer cozinha equipada com os condimentos acima está a salvo da mesmice e são capazes de fazer até o mais seletivo dos filhos dar umas garfadas num prato perfumado e cheio de personalidade!


sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

COXA E SOBRECOXA PICANTE ASSADA


Ingredientes:
1kg de coxa e sobrecoxa
QB  de sal
1/2 pimenta dedo de moça picadinha (opcional)
1 colher (chá) de páprica picante
1 colher (chá) de páprica defumada
1 colher (chá) de pimenta calabresa moída
QB de orégano




Modo de Preparo:
Misture os temperos.
Coloque os pedaços de frango e o tempero num saco plástico e mexa bem.
Deixe marinar por 1 hora na geladeira.
Coloque numa forma untada e leve para assar em forno preaquecido (200ºC) por mais ou menos 1 hora.
Sirva quente.

Observação: Assei no bom apetite, conforme fotos. 

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

PASTEL DE FORNO DE BRÓCOLIS E CALABRESA


Receita e imagens enviadas por Leticia Walmrath

Ingredientes:
Massa para pastel  pronta
200g de linguiça calabresa
1  maço de brócolis ou uma cabeça pequena
1/4 de cebola picada
1/2 pimentão verde picado
QB de sal
1 pote de requeijão



Modo de Preparo:
Em uma panela refogue com óleo ou azeite de oliva a cebola, o pimentão. Acrescente a calabresa picada. Quando ela estiver bem fritinha acrescente o brócolis e deixe ele murchar um pouco. Acrescente o requeijão. Ajuste o sal. Deixe o recheio esfriar para rechear a massa do pastel. Depois de frio rechear as massinhas. Levar ao forno preaquecido (180ºC) por cerca de 30 minutos ou até a massa ficar dourada.

Observações:  usei  massa pronta tradicional de pastel , em vez de fritar resolvi assar. Se quiser pode usar a massa folhada.


Fonte: Receita e imagens de Letícia Walmrath

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

SALTEADO DE SOBRAS DE OVELHA COM LEGUMES

Sobrou carne de ovelha do churrasco de ontem?  Bora aproveitar para o almoço de hoje!

Ingredientes:
QB de azeite
QB de sobras de carne de ovelha
1 batata doce em rodelas
1 batata inglesa em rodelas
1 cebola cortada em gomos
1 cebola roxa cortada em gomos
½ pimentão vermelho
½ pimentão verde
½ pimentão amarelo
1 cenoura
QB de sal, pimenta calabresa moída e orégano
QB de temperinho verde




Modo de Preparo:
Corte a carne de ovelha em tiras.
Lave bem as batatas e cozinhe no vapor até ficar al dente. Corte em rodelas de 1 cm.
Corte os pimentões e a cenoura  em Julienne.
Numa frigideira coloque azeite e doure as batatas em rodelas. Reserve.
Acrescente a cenoura e a cebola, salteie um pouco e acrescente a carne, os pimentões. Salteie mais um pouco.

Tempere com sal, pimenta e orégano.
Sirva com as batatas e polvilhe tempero verde.    


sábado, 11 de fevereiro de 2017

RECEITA DE CROCANTE DE CHOCOLATE COM MANGA


Ingredientes:
50g de farinha de trigo
50g de manteiga em temperatura ambiente
50g de açúcar
50g de amêndoa moída
1 pitada de sal
4 mangas cortadas em cubos
Raspas da casca de 1 limão
40g de açúcar (¼ xícara de chá)
180g de chocolate branco picadinho (2 xícaras de chá)
150ml de creme de leite fresco (¾ xícara de chá)



Modo de Preparo:
Numa tigela coloque 50g de farinha de trigo, 50g de manteiga em temperatura ambiente, 50g de açúcar, 50g de amêndoa moída e uma pitada de sal, e misture com as pontas dos dedos até formar uma farofa grossa. Leve para gelar por aproximadamente 1 hora.
Numa forma forrada com papel manteiga, espalhe a farofa (reservada acima). Leve ao forno médio pré-aquecido a 180°C por 15 minutos. Retire do forno e reserve.
Coloque numa frigideira aquecida 4 mangas cortadas em cubos, raspas da casca de 1 limão e 40g de açúcar e leve ao fogo alto para cozinhar (mais ou menos 5 minutos). Retire do fogo acrescente 180g de chocolate branco bem picado e 150ml de creme de leite fresco e misture bem.
Em forminhas individuais coloque 1 porção de creme de manga e 1 porção de farofa. Sirva em seguida.

Observações: Substitui o creme de leite fresco por leite de coco, utilizei praline de amêndoas que tinha pronto e servi com sorvete, conforme fotos.


quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

GELEIA DE PIMENTA FACÍLIMA


Ingredientes:
4 pimentas dedo de moça sem sementes picadas (se não se garante, bota menos)
1 maçã descascada e ralada no ralo grosso
1 xícara de açúcar
200ml de suco de laranja
2 dentes de alho descascados
1 pitada de sal




Modo de Preparo:
Em uma panela coloque todos os ingredientes e leve ao fogo médio por 20 minutos sem mexer.
A geleia ganha consistência depois que esfria, então apague o fogo e observe a mudança linda que acontece.
Retire os dentes de alho, transfira a geleia para um pote de vidro esterilizado e mantenha na geladeira.


terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

BOLINHO DE ABOBRINHA


Ingredientes:
2 xícaras (chá) de abobrinha ralada
2 colheres (sopa) de cebola picada
1 ovo batido
1 colher (sopa) de maionese
½ xícara (chá) de queijo parmesão ralado
½ xícara (chá) de farinha de trigo
½ colher (chá) de orégano
QB de sal e pimenta
QB de óleo para fritar



Modo de Preparo:
Coloque a maionese, a abobrinha, a cebola e o ovo em um liquidificador e bata em velocidade máxima até obter uma mistura bem homogênea. Em seguida, pare de bater e adicione o queijo, a pimenta, o sal e o orégano e bata rapidamente.
Com o auxílio de uma colher faça os bolinhos e frite  no óleo.


domingo, 5 de fevereiro de 2017

MÉTODOS DE COCÇÃO


- A vapor: com pressão, sem pressão, com calor úmido direto.
Cocção rápida com aumento de temperatura no recipiente de cozimento pelo aumento de pressão no interior do mesmo.
(pressão em nível do mar = O bar/água em ebulição = 100ºC).

- Abafar: com tampa, com calor seco direto.
Cocção muito rápida do alimento, no seu próprio teor de umidade, em temperatura alta de 180°C.

- Branquear: sem tampa, com calor úmido direto.
Pré cocção de alimentos, (em água 80/90°C ou em óleo 150°C) em meio líquido por alguns minutos, preparando-os para congelamento, conservas e frituras, visando dar firmeza, coagulando as fibras externas, manter a cor, inativa enzimas e inibir micro organismos.

- Ferver: com tampa, com calor úmido direto. Cocção completa em meio líquido.

- Refogar: com tampa, sem tampa, com calor seco direto.
Cozimento completo em meio líquido, (pré-ebulição 80/90ºC, ebulição 100ºC).

- Ensopar: com tampa, com calor misto direto.
Cocção refogando o alimento e acrescentando líquido para amaciar e cozer em temperatura alta de 180°C.

- Estufar: com tampa, com calor misto direto.
Cocção refogando o alimento e acrescentando pouco ou nenhum líquido, cozendo lentamente em temperatura baixa de 100/120°C.

- Guisar: com tampa, com calor misto direto.
Cocção, refogando o alimento, mexendo sempre, com ou sem adição de líquido, em temperatura alta de 180ºC.

- "Poêler": sem tampa na frigideira, com tampa no forno, com calor seco.
Cocção, na frigideira (poêle) à temperatura alta direta no fogo.
No forno, em temperatura moderada, permitindo um cozimento suave, usando o próprio suco do alimento, em recipiente bem fechado.

- "Pocher": sem tampa, com calor misto indireto.
Cocção muito suave, em pouca quantidade de líquido, em temperatura de 70/80°C.

- Brasear: sem tampa, com tampa, com calor misto, direto ou indireto.
Cocção na chama ou no forno que visa dar colorido ao alimento, mantendo o suco no seu interior, procedendo após o cozimento final.

- Assar: sem tampa, com calor seco direto ou indireto.
Cocção no forno ou no espeto sem adição de líquidos, o alimento deverá estar já temperado, podendo ser regado com gordura.
A temperatura de cocção no forno é de 200/300°C. No espeto a temperatura vai depender do distanciamento da peça com a fonte de calor, para coagular as fibras externas, retendo o suco no interno, após reduzir a temperatura para 180/190ºC, para completar o cozimento sem queimar.

As carnes assadas podem apresentar as seguintes características:
Tipo de Carne
Cor do Suco
Temperatura Interna
Grau de Cocção
Vermelha
Vermelho escuro
45ºC
Quase crua
Vermelha
Rosado
50°C
Ao ponto
Vermelha
Rosado
60°C
 Bem cozida
Vermelha
Claro/Límpido
75°C
 Bem cozida
Vitela
Claro/Límpido
85°C
 Bem cozida
Porco ou Aves
Claro/Límpido
85°C
 Bem cozida

- Grelhar: calor seco direto.
Cocção em alta temperatura inicial de 200/250°C, a fim de fechar os poros, para reter os sucos, continuando após, em temperaturas mais baixas de 180/200ºC até o ponto desejado. Aplicar o calor conforme o tamanho do alimento.

- Saltear: sem tampa, com calor seco indireto.
Cocção rápida, de pequenas peças, em pouca gordura, dourando em fogo alto.

- Fritar: sem tampa, com calor seco indireto.
Cocção por imersão no óleo, em temperaturas que variam de 150°C a 190°C, dependendo do alimento.

Cuidados ao trabalhar com frituras:
1 - A superfície do óleo em contato com o ar está diretamente proporcional à rapidez de sua oxidação ou decomposição.

2 - Manter a temperatura sob controle, evitando queimar ou encharcar o alimento.

3 - Não colocar muitas peças por vez no recipiente, pois a temperatura vai baixar, deixando os alimentos encharcados, sem a possibilidade de ficarem crocantes.

4 - Enxugar bem os alimentos, para o óleo não espumar, havendo perigo de transbordar.

5 - Retirar os excedentes dos empanados à dorê, à milanesa, etc., para evitar que os resíduos queimem no óleo, reduzindo sua vida útil.

6 - Nunca cobrir uma fritura.

7 - Sempre escorrer os alimentos que, foram fritos em papel absorvente.

8 - O óleo está impróprio para o uso quando:
- Fumegar ao aquecer, desprendendo cheiro acre;
- a cor começar a ficar escura;
- espumar como cerveja.

9 - Caso a gordura inflamar, nunca usar água para apagar a chama, mas abafar para impedir a combustão.

10 - Cuidado com a presença de "líquidos" na gordura aquecida, pois eles podem "explodir", causando sérias queimaduras.

11 - Quando trabalhar com fritadeiras tipo panela, após o uso, retirar a gordura, procedendo à filtragem por chinois" e "étamine" (malha bem fina de inox é um tipo de chinois - côa melhor).

12 - Quando trabalhar com massa cozida, colocar em temperatura alta para formar uma crosta crocante, pois o alimento já está cozido e, portanto, o tempo de fritura é mínimo; caso colocar em gordura fria, esta vai penetrar no alimento, deixando-o encharcado, sem ficar crocante.

13 - Quando trabalhar com massa crua, colocar em temperatura mais baixa, pois o alimento precisa primeiro ser cozido e só depois formar a crosta crocante por fora, sendo, portanto, o tempo de fritura maior; se colocar em gordura muito quente, pode ocorrer a queima por fora sem cozer o interior do alimento.

- Micro ondas: calor seco direto.
 Cocção muito rápida devido à incidência de ondas eletromagnéticas nos alimentos (em até 4cm de profundidade), provocando vibrações em suas moléculas que, pelo atrito, vão gerar calor; a cocção se dá de dentro para fora e das bordas para o centro. Por suas características, esse equipamento exige técnicas especiais para realizar os métodos de cocção usuais.

- Forno combinado: calor misto, direto e indireto.
Todos os métodos de cocção já mencionados são executados em um único equipamento.
Cada modelo ou marca de forno exibe os diferentes programas, na parte da frente do forno. Todos eles têm as três funções básicas: ar seco, vapor e combinado.

- “Sous vide”: calor úmido direto.

- Cocção a vácuo, por bio vaporização dos alimentos embalados a vácuo, em sacos plásticos de três camadas, impermeáveis e hermeticamente fechados. Os produtos frescos são condicionados a vácuo, bio vaporizados em temperatura de 98°C esfriados em célula frigorifica (esfriamento rápido), conservar em 3°C por até 21 dias, regenerados (aquecidos) e servir.

- Gratinar: sem tampa, com calor seco direto na salamandra / forno.
Não é considerado um processo de cocção, pois o objetivo é dar um colorido na superfície do alimento já cozido. A temperatura é alta de 250 a 300°C e a exposição ao calor é muito rápida.



Super Ofertas para você!